Reconhecimento Facial para Sistemas de Análise de Risco

Reconhecimento Facial para Sistemas de Análise de Risco

Compartilhe:

O que você vai conferir:

O Sistema de Reconhecimento Facial é uma forma de identificar ou confirmar a identidade de um indivíduo utilizando a imagem de seu rosto. Os sistemas de reconhecimento facial para Análise de Risco podem ser usados para identificar pessoas em fotos, vídeos ou em tempo real.

A maioria das pessoas já estão familiarizadas com a tecnologia de reconhecimento, isso graças ao aplicativo que é usado para desbloquear os smartphones. Geralmente, o reconhecimento facial não possui um banco de dados repleto de fotos para garantir a identidade de uma pessoa, ele apenas a identifica e reconhece como sendo a proprietária única do dispositivo, limitando o acesso de outros.

Além da função de desbloqueio de  aparelhos, o reconhecimento facial funciona fazendo a correspondência entre os rostos de indivíduos que passam por câmeras especiais com imagens de pessoas contidas em uma lista de observação. Essas listas de observação podem conter imagens de qualquer pessoa, incluindo as que não são suspeitas de irregularidades, podendo estas serem geradas de qualquer lugar, até mesmo de nossas contas de redes sociais.

Alguns sistemas de tecnologia facial variam em seu modo de operar, mas em geral, tendem a seguir as seguintes etapas:

Etapa 1: Detecção do rosto

A câmera detecta e localiza a imagem de um rosto, sozinho ou no meio de uma multidão. A imagem da pessoa pode ser de frente ou de perfil.

Etapa 2: Análise do rosto

Após a detecção, uma imagem do rosto é capturada e analisada. O software faz a leitura da geometria da face, cujos principais fatores são a distância entre os olhos, a profundidade de suas órbitas oculares, a distância entre a testa e o queixo, o formato da maçã do rosto e o contorno dos lábios, das orelhas e do queixo, tendo como o principal objetivo identificar os principais pontos de referência faciais que diferenciam seu rosto.

Etapa 3: Conversão da imagem em dados

Esse processo transforma as informações analógicas em um conjunto de informações digitais com base nas características faciais da pessoa, gerando um código numérico como uma fórmula matemática, chamado de impressão facial que, assim como as impressões digitais, a impressão facial é única, ou seja, cada pessoa possui a sua.

Etapa 4: Localização de uma correspondência

A impressão facial é comparada com um banco de dados de outros rostos conhecidos e uma determinação será feita, caso seja encontrada o rosto correspondente.

Normalmente reconhecemos uns aos outros pelos nossos rostos, e não por impressões digitais e íris. Por esse motivo, o reconhecimento facial é considerado a forma de medição biométrica mais natural. Acredita-se que mais da metade da população do mundo passe por reconhecimento facial de maneira regular.

Além do desbloqueio do smartphone, o reconhecimento facial traz outros benefícios:

  • Reforço à segurança, ajudando a identificar criminosos, bloquear dispositivos pessoais e câmeras de vigilância.
  • Redução de crimes, facilitando o rastreamento de criminosos, ou como substituta de senhas que não pode ser hackeada, já que a impressão facial é única.
  • Diminuição de Fraudes, através da prevenção do roubo de informações e fraudes de identidade.

Dados todos os benefícios e vantagens dessa tecnologia, a Flexdoc possui as soluções certas para o Reconhecimento Facial:

Face Match

Utilizando a Inteligência Artificial, compara duas imagens, garantindo o registro e validação comparativa, podendo ser usada como um complemento de segurança.

Prova de Vida

A prova de vida é um módulo específico que utiliza capturas de imagens e dados para serem analisados e comprovar a vivacidade do usuário.

Reconhecimento Facial para Sistemas de Análise de Risco com a Flexdoc

Para fazer a escolha correta no momento de adquirir a tecnologia de Reconhecimento Facial para Sistemas de Análise de Risco, entre em contato com a Flexdoc.

4.8/5 - (34 avaliações)

POSTS RELACIONADOS