Automatizar o compliance é fundamental para a boa jornada do consumidor

Flexdoc Onboarding e Backoffice Digital, Artigo Automatizar o compliance é fundamental para a boa jornada do consumidor

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

As tecnologias de automação de controles regulatórios (também conhecidas como plataformas RegTech) estão crescendo à impressionante taxa de 52,8% ao ano, desde 2019, e irão se manter nesse ritmo em uma projeção até 2025, de acordo com relatório da ONG Germany Fintech.

Na visão da Flexdoc, a automação normativa já estava alavancada no Brasil, em função de regulações de grande impacto. É o caso da LGDP, o marco civil da Internet e as imposições de compliance de dados para as instituições financeiras.

Mas o movimento RegTech está se acelerando bem mais desde 2020. O motivo é a popularização do PIX e  iminência de operação obrigatória dentro do modelo compartilhado Open Banking.

Embora o foco da pesquisa da Germany Fintech tenha se orientado às empresas do setor financeiro “raiz”, esta disseminação acelerada está abrangendo não só os bancos, factorings, seguradoras, corretoras, casas de câmbio e administradoras de consórcios.

Isto porque as imposições ao setor financeiro contaminam diretamente o varejo físico como um todo, a cadeia de suprimentos da indústria, o e-commerce, as utilities, o governo e o setor de saúde.

Se confirmadas as previsões, os investimentos globais em RegTecs irão para o patamar de US$ 55,2 bilhões ao final de 2025. Em passado recente, este tipo de investimento já foi enquadrado pelos bancos em uma rubrica nem sempre favorável, de “despesa de capital” (Capex).

Mas no novo ambiente digital, a eficiência de compliance é vista como diferencial competitivo. Ela favorece a agilidade de decisões, a otimização da experiência do cliente, a redução do risco jurídico e a desburocratização dos contratos.

Automação regulatória ou morte

Será praticamente impossível às empresas dos setores mais competitivos operar sem instrumentos automáticos para o registro de novos clientes (como é o caso do onboarding digital) e sem a integração analítica de dados estruturados com fragmentos de dados e imagens.

Em outros termos, a captura de informações por fotos digitais e sua conversão em dados via OCR, associados a aplicações biométricas e plataformas analíticas, são condições básicas para a jornada de implantação de uma plataforma RegTech.

Na ausência de requisitos como estes, nem os bancos nem o comércio conseguirão praticar o compliance sem comprometer a eficiência. Depois de integrar todo o ciclo de registros, conferência de dados e liquidação de operações, sem depender de processos manuais, as empresas estarão aptas a operar regras de compliance de forma online. Com isto irão conseguir reduzir o atrito nas operações e obter um desempenho de negócios maior que a média da concorrência.

Além das recentes exigências estipulados pelo Banco Central envolvendo todos os elementos do SPB (Sistema Brasileiro Pagamentos) que deverão se integrar ao “Open Banking”, as tecnologias RegTech precisam incorporar regras relacionadas a diversas normas multissetoriais.

É o caso dos padrões de segurança para o sistema de cartões (como PCI-DSS), as imposições da Lei Sarbanes-Oxley para os bancos, o Código de Defesa do Consumidor, as leis transnacionais de proteção de dados (a exemplo da GDPR europeia), as obrigações de auditoria sobre Lavagem de Dinheiro e as implicações de responsabilidade do negociante sobre as operações de clientes (Know Your Customer).

Seguindo a tendência mundial, a Febraban posiciona as RegTechs e as LawTechs (ou legaltechs) entre os alvos prioritários para os investimentos da TI dos bancos locais. Já começam a surgir também as RegTechs nativas, que oferecem serviços em regime de outsourcing ou no modelo de entrega SaaS.

A corrida regulatória ganhou impulso internacional a partir dos escândalos financeiros de 2007 que resultaram em quebras de bancos e empresas, culminando na crise global de 2008. Deste período até 2019, as estimativas internacionais apontam que o setor financeiro precisou despender US$ 321 bilhões só em pagamento de multas.

Análise de Fraude

O processo de análise de fraude utiliza uma combinação de tecnologias e algoritmos que realizam automaticamente o processamento e validação de dados e documentos para avaliar o risco de um determinado documento ou transação estar sendo fraudado.

 

A partir da extração automática de dados (OCR) e da aplicação de regras automáticas de validação, o sistema identifica e aponta os desvios e riscos de fraude, possibilitando uma ação rápida por parte do gestor.

Validações
Biométricas

A aplicação de Face Match pode ser usada como um complemento de segurança, quer seja no processo de onboarding, quer seja num processo de autenticação / login. Ela faz uma comparação entre o documento de identificação ou selfie tirada pelo usuário no cadastro , e uma foto armazenada na base de dados do governo federal, para garantir que os documentos enviados são realmente da pessoa, podendo esse processo ser automatizado ou manual.

Prova de vida

A prova de vida é um módulo específico que utiliza de capturas de imagens e dados para serem analisados para comprovar a vivacidade do usuário, esses dados capturados são processados em várias etapas para validar a genuinidade das informações para então trazer uma resposta assertiva sobre o status do usuário.

Background Check

O Background Check possibilita com base nos dados cadastrados pelo usuário fazer uma série de consultas de pessoa física e jurídica em diversas centrais de informação como por exemplo da Procuradoria Geral da Fazenda Nacional, Receita Federal, etc.
Além disso, capacidades de documentoscopia e validação de documentos torna o processo de avaliação extremamente robusto.

Análise de Fraudes

O nosso background check conta com um sistema de análise de fraudes
robusto, possuindo uma série de processos automatizados que são confrontados por operadores fazendo assim um double check dos registros para garantir acurácia das informações.

Geração de Dossiês PF e PJ

Dossiês completos para pessoa fisica e juridica consultando a partir dos dados cadastrados pelo usuário, o dossiê é gerado através de uma consulta feitas nos maiores e mais confiáveis órgãos do brasil e internacionais, trazendo informações com, processos judiciais, Antecedentes Judiciais, Dados Profissionais, entre outros.

Assinatura
Digital

Quer que Políticas, riscos, permissões, exceções, sejam analisados e validados de forma automática, com precisão e agilidade, para garantir a conformidade da sua operação? Na plataforma do BaCk Office conectA você encontra a solução perfeita!

Construído em conjunto com o Smartflow, o motor de regras é uma camada da plataforma onde é possível personalizar as regras e parâmetros que o workflow deve obedecer.

Benefícios:

Pouca necessidade de codificação, velocidade na implantação de um projeto.

Dossiês de Crédito

Com o propósito de minimizar perdas, endividamentos e fraudes a Flexdoc construiu um modelo versátil de análise pessoa jurídica e pessoa física, se conectando a um imenso volume de base de dados governamentais e globais somos capaz de extrair um amplo número de informações judiciais, financeiras e pessoais, que tornam o processo de tomada de decisão mais assertivo e produtivo.

FlexSign

A ferramenta de assinatura eletrônica da Flexdoc traz a facilidade e agilidade de poder assinar documentos a partir de qualquer dispositivo em qualquer lugar que você esteja, com uma segurança maior que a assinatura tradicional em papel, pois utiliza de criptografia e validação de autenticidade por meio de rastreabilidade de todo o processo.

 

Benefícios:

O FlexSign cumpre com todas as rigorosas normas do ICP e de outros instituições de regulamentação de chaves públicas tornando todo o processo juridicamente válido